quarta-feira, 28 de março de 2012

CLASSIFICADOS

ESTAMOS CRIANDO UM NOVO ESPAÇO!!!
O CLASSIFICADOS, UM ESPAÇO GRATUITO AO GUARDA MUNICIPAL E NOSSOS AMIGOS,AQUI NO BLOG!
TEM UMA NOVA PÁGINA COM ESSE ITEM COM UM EXEMPLO!
É GRATUITO!!!!


quinta-feira, 22 de março de 2012

NOVA COMEMORAÇÃO!!!

EM BREVE ESTAREMOS FAZENDO OUTRA COMEMORAÇÃO, QUE SERÁ UMA FESTA DE BOAS VINDAS AOS NOVOS GCM'S!!!

PARTICIPE!!!!

quinta-feira, 15 de março de 2012

PREFEITURA E CÂMARA CORREM CONTRA O TEMPO

Tanto a Prefeitura quanto a Câmara Municipal correm contra o tempo para aprovarem seus projetos de lei em tempo hábil, antes que as restrições impostas pela Lei de Responsabilidade e pela legislação eleitoral prevaleçam, a partir da segunda semana de abril próximo. 

Entre os requerimentos de urgência urgentíssima enviados na Sessão da Câmara Municipal nesta terça-feira, 13, constam aqueles referentes aos projetos de Lei no. 08/2012 de autoria do Prefeito João Afonso Sólis, que concede reajuste salarial de 5,5% a todos os servidores ativos, inativos, aposentados, pensionistas, ocupantes de cargos de provimento em comissão, inclusive agentes políticos; o projeto de Lei no. 10/2012, que, segundo a Prefeitura, corrige redação conflitante no Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Guarda Municipal, que possibilita que o cargo de subcomandante da guarda civil municipal seja ocupado por guardas municipais de 2ª. classe, desde que este, no prazo de cinco anos, conclua curso de nível superior, nos mesmos moldes do disposto para nomeação ao cargo de comandante. 

O reajuste de 5,5% no salário de todos os servidores públicos da Câmara Municipal é solicitado pelo Projeto de Lei no. 11/2012 de autoria da Mesa Diretora daquela Casa. Todos os requerimentos de apreciação em regime de urgência urgentíssima foram aprovados por unanimidade. 


Original em:http://bjd.com.br/site/noticia.php?id_editoria=8&id_noticia=4642

quarta-feira, 14 de março de 2012

NOVOS GUARDAS!!!


Amanhã se iniciaram na carreira novos GMs e GMFs, eles em breve estaram fazendo o Curso de Formação para Guarda Municipal, que ainda faz parte da fase do concurso.
E creio que muitos estão com muitas dúvidas que em breve são ser esclarecidas.

Foto:Highara (arquivo pessoal)
                                          
Quando iniciamos em uma nova profissão devemos estar abertos a uma nova experiência e deixar de lado conclusões iniciais.


Muita gente entra na Guarda Municipal achando que vai ser polícia, ou que vai ser mais um "02" de uma tropa de elite, ou que vai passear de viatura.


Somos Guardas Municipais, que tem atribuição constitucional diferente dos demais órgãos de segurança pública,diferente, porém muitas vezes semelhante, pode parecer incoerente, mas é a realidade.


A Guarda Municipal foi criada antes das Polícias Militares, e era conhecida pela gentileza,respeito e trato aos cidadãos, somente fazia parte dessa corporação pessoas com idoneidade comprovada e ilibada.

Quando surgiu o Militarismo como sistema governamental no nosso país , esses profissionais foram usurpados e substituídos por policiais militares que tinham com meta a repressão aos ideais democráticos e humanos.  


Esse tempo passou e agora vivemos em um país democrático,porém nossos constituintes se esqueceram de nós na elaboração da carta magna,e descrever nossa função de maneira mais clara e objetiva.Creio que em breve essa lacuna na lei seja preenchida.
Porém nossa história mostra nossa função!


Espero que seja essa primícia que vocês se lembrem quando vestirem suas fardas pois como dizem: 


“A farda não é uma veste que se despe facilmente, mas sim uma segunda pele que adere à própria alma, irreversivelmente.(Autor Desconhecido)”

Integre-se mais,melhore seu relacionamento com todos os outros Guardas Municipais, independente de função ou setor, pois um dia será ele seu parceiro,que pode depender a sua vida, no sentido real da palavra.

E a respeito de passear de viatura, não passeamos fazemos rondas ostensivas,cuidando para que os "bens ,serviços e instalações do município" permaneçam em segurança.


 Lembre-se sempre:
1) O policial deve ser e não parecer;
2) O suor expirado em treinamentos poupa o sangue que seria derramado nas ruas;
3) Ouvir muito, ver muito e falar pouco;
4) Ninguém é melhor que ninguém;
5) Não basta querer, é preciso agir;
6) O sucesso tem muitos pais, o fracasso é órfão

E o mais importante:


Sejam Bem Vindos!!!


segunda-feira, 12 de março de 2012

GCM SÃO PAULO - MEMÓRIAS, SÍMBOLOS, HISTÓRIA FAZEM PARTE DA ALMA DA INSTITUIÇÃO


 Os uniformes exercem um certo fascínio. A história relata que os uniformes militares surgiram na Boêmia (atual República Tcheca), durante a Guerra dos Trinta Anos (1618 – 1648). Na época foram concebidos, não apenas para facilitar a identificação dos combatentes, mas para tornar a luta mais fácil e impressionar os oponentes. Durante as Guerras Napoleônicas – no início do século XIX - apareceram novas combinações de peças do fardamento, cores e acessórios. Cem anos depois, a Primeira Guerra Mundial incorporou as casacas, e daí para frente os uniformes militares passaram a ser utilizados não só nos campos de batalhas, com os modelos mais variados, mas dentro de uma tradição e simbologia militar a nível mundial.


     Caros Guardas Civis Metropolitanos, o uso do uniforme, suas insígnias, distintivos e condecorações, visam a padronização da apresentação pessoal, a identificação de relance do homem fardado e seu respectivo grau hierárquico, bem como as especialidades a que pertencem. O uniforme do Guarda Civil Metropolitano constitui a característica mais marcante da apresentação individual e coletiva, e seu uso correto demonstra o alto grau de disciplina e orgulho pessoal do profissional, além do “marketing corporativo” contribui em muito com o conceito da instituição perante a opinião pública.

     O profissionalismo, aliado a elevados padrões éticos e morais, a eficiência, o controle emocional, a criatividade, uma boa dose de humildade, somados a uma boa apresentação pessoal, são alguns dos requisitos que distinguem o bom Guarda Civil Metropolitano e aumentam a credibilidade da Corporação




     Fortalecer o “espírito Guarda Civil”, as tradições, a memória e os valores morais, culturais e históricos da Guarda Civil Metropolitana, preservando e divulgando seu patrimônio material e imaterial é tarefa imprescindível para a estabilidade da personalidade da instituição.


     A História da Guarda Civil Metropolitana confunde-se com a História da conquista da Democracia no Brasil. Desde o limiar desta conquista a figura do Guarda Civil Metropolitano foi elemento determinante nos rumos para um conceito de Segurança Urbana . Nessa relação simbiótica nasceu a tradição das Guardas Municipais no Brasil com caráter estritamente comunitário.

     Uma recordação, memória ou costume que permanece, caracteriza e determina um grupo por intermédio do seu patrimônio imaterial. Ao reverenciar seus símbolos, suas tradições, a Guarda Civi lMetropolitana se solidifica e se perpetua no imaginário coletivo. O conhecimento dos valores, crenças, memória e tradições da Guarda Civil Metropolitana é de suma importância para os seus integrantes, a fim de fortalecer a “Guarda Civil, particularmente nos quadros, pois, ao travar contato com os principais símbolos e fatos históricos, esses integrantes serão vetores de preservação da memória da Instituição. Conhecer sua história e seus símbolos contribui para o fortalecimento da coesão da Guarda Civil Metropolitana como instituição.

     O Guarda Civil Metropolitano, conhecedor do passado da Instituição a que serve, será um profissional mais qualificado e preparado para conviver num mundo onde as informações e a cultura geram poder.

     Neste mesmo diapasão a Guarda Civil Metropolitana vem perdendo aos poucos seus símbolos, sua história, suas tradições, seu compromisso primário com a municipalidade.

     A hierarquia parece não existir mais. Terceiras Classes, Segundas Classes e Primeiras Classes se vêem no mesmo patamar. Inspetores se tratam pelos nomes sem se preocuparem com os cargos que vão e vem numa eterna dança  das cadeiras , onde o mais esperto puxa a cadeira do outro. A competência parece não ser requisito primário para a atribuição de cargos comissionados, e sim, requisitos são os que aderem ao sistema que anda na contramão das expectativas da corporação. Lembrando que a corporação é feita por todos os integrantes e não por minorias interessadas em suas carreiras, poder e salários.

     Os cargos de Classe Especial e de 2º Inspetor foram suprimidos dos quadros da instituição. As divisas de Inspetor começam, em sua base, com dois barretes (primeiro Inspetor) que antes iniciavam-se com um barrete (segundo inspetor) e, na seqüencia, três (Inspetor Regional), quatro (Inspetor Chefe de Agrupamento), cinco (Inspetor Chefe Superintendente) e, por fim, seis (Inspetor Chefe Superintendente Geral).

    Agora com o decreto 50.978 de 6 de Novembro de 2009 mudam a insígnia de ombro conferida ao cargo mais alto da carreira. Levando em consideração que a divisa com seis barretes da Guarda Civil Metropolitana era raramente usada pelos antigos comandantes e que agora foi suprimida permanentemente.

     A Guarda Civil Metropolitana não é Guarda do Município, é Guarda do Prefeito, Guarda do Secretário, Guarda da Polícia Militar, pois eles mudam tudo de acordo com suas vontades e interesses.

    É mais fácil criar um decreto que diferencie os Inspetores uns dos outros que efetivarem seus cargos através de concursos públicos, justos e democráticos acabando com a farra das comissões, porém a segunda opção poderia não contemplar aqueles que não preenchem o requisito “competência”.

Autoria: Administrador do Portal do Guarda Civil


domingo, 4 de março de 2012

Mês da Mulher

Dia 8 de Março é o dia internacional da mulher e nós não poderíamos deixar de homenagear as mulheres,mães, amigas, parceiras,filhas e principalmente GMF (guardas municipais femininas).



No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).



Objetivo da Data 
Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Conquistas das Mulheres Brasileiras 
Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

Marcos das Conquistas das Mulheres na História 

- 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.
- 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.
- 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.
- 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.
- 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.
- 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas
- 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres
- 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.
- 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças
- 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina
- 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres

quinta-feira, 1 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher - 8 de Março



Em 1955, o então governador do estado, Jânio Quadros, encarregou o diretor da Escola de Polícia, doutor Walter Faria Pereira de Queiroz, de estudar a criação, em São Paulo, de uma Polícia Feminina.
Em 12 de maio do mesmo ano, sob o decreto nº 24548, institui-se, na Guarda Civil de São Paulo, o Corpo de Policiamento Especial Feminino e, na mesma data, a Dra. Hilda Macedo tornou-se a primeira comandante do Policiamento Especial Feminino.
Assim foi criada a primeira Policia Feminina do Brasil, pioneira também na América Latina – sendo-lhe atribuídas missões que melhor se ajustavam ao trabalho feminino, conforme as necessidades sociais da época: a proteção de mulheres e jovens.
Em 26 de maio do mesmo ano, publicou-se o Decreto nº 24587, o qual relacionava os requisitos para o ingresso no Corpo Especial. Dentre as 50 candidatas, 12 foram selecionadas para a Escola de Policia, para um curso intensivo de 180 dias. As 12 mulheres escolhidas e sua Comandante foram chamadas “as 13 mais corajosas de 1955”.
A filosofia da fundadora era de que as policias fariam patrulhamento, mas não usariam armas. A manifestação física seria branda, porém enérgica, valendo-se da persuasão.
Por um período experimental de quase quatro anos em que a existência da Polícia Feminina se baseava em um decreto governamental, tiveram a certificação pela Lei nº 5235 de 15 de janeiro de 1959 que, além de ampliar as funções atribuindo à elas encargos de investigação, estabeleceu também a carreira de Policial Feminina, criando o cargo de chefia.
A partir de então, passaram a ser subordinadas do Secretário de Segurança Pública.
Comandaram a Polícia Feminina oito Coronéis: Hilda Macedo, Jannette Ribeiro Fiúza, Denisa Della Nina, Sylvia Binelli, Dyarsi Teixeira Ferraz, Vera Maria Fávaro, Hilda Magro e Vitória Brasília de Souza Lima.
Reconhecimento
As missões foram ampliadas e as policiais passaram a atuar em outras atividades como: trânsito, bombeiro choque, policiamento rodoviário, ambiental, policiamento com ao apoio de motocicleta ou bicicletas, radio patrulhamento, policiamento escolar e a corregedoria.
Marcam presença no COPOM (Centro de Operações Especiais) e nos serviços administrativo. Preenchem os quadros de Saúde, como médicas, dentistas, farmacêuticas, veterinárias ou como auxiliares de saúde, podendo ainda atuar como músicas no Corpo Musical ou mecânico de aeronaves, no Grupamento de Rádio Patrulha Aérea.
Desde 1º de janeiro de 2000, elas não têm mais batalhões femininos nem missão especial, mas estão integradas operacionalmente em todas as atividades da Polícia Militar, podendo exercer qualquer função em qualquer localidade.
Em 2001, a 1º de fevereiro, o Governador Geraldo Alckmin, criou, no âmbito institucional, o dia do “Policial Militar Feminino” com o intuito de não se perder um fato significativo na História do Brasil e na bela trajetória da Polícia e no Estado de São Paulo.
Fonte: www.polmil.sp.gov.br/ www.wikipédia.com.br/ www.agoravale.com.br/